Bolsonaros elevam o tom porque sabem que investigação poderá levar todos para a cadeia

Sem classificação

Eduardo Bolsonaro (PSL/SP) bancou o profeta do caos nesta quarta-feira ao criticar a ação da Polícia Federal que fez buscas e apreensões em vários integrantes, e financiadores, do gabinete do ódio. Nas palavras do deputado não é mais uma questão de “se”, mas de “quando” vai haver uma ruptura social. No fundo do latido do filho do presidente está uma preocupação mais séria para eles. Se a investigação continuar podem ir todos para a cadeia.

O inquérito, comandado pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, investiga uma quadrilha digital de propagação de fake news e ataques virtuais.

“Eu até entendo quem tenha uma postura mais moderada, vamos dizer, para não tentar chegar em um momento de ruptura, um momento de cisão ainda maior, um conflito ainda maior. Eu entendo essas pessoas que querem evitar esse momento de caos, mas, falando bem abertamente, opinião do Eduardo Bolsonaro, não é mais uma opinião de se, mas de quando isso vai ocorrer”. (Eduardo Bolsonaro)

Essa declaração foi dada em uma transmissão ao vivo no canal Terça Livre, do blogueiro Allan dos Santos, um dos alvos da ação da PF no dia de ontem (27). Também estava presentes na coversa Olavo de Carvalho – guru e astrólogo – Italo Marsili – que mente que é psiquiatra e a deputada Bia Kicis (PSL/DF), também investigada pelo Supremo.

A lista dos participantes desta conversa mostra uma incrível capacidade de juntar pessoas que, se retirar os crimes que elas cometem, não tem nenhuma contribuição relevante para o país.

“Cão que ladra não morde” já diz o ditado. Mas os Bolsonaros precisam ladrar para que as investigações não prossigam. Os três filhos, Flávio, Carlos e Eduardo, estão envolvidos em investigações na justiça. Elas vão das fake news até a rachadinha do gabinete, relações com as a milícias e funcionários fantasmas. Tudo isso alcança do paí, Jair Bolsonaro, que não está sendo investigado, por enquanto, por ser presidente. Mas todos sabem. Se investigar os quatro vão para a cadeia.

Para evitar isso a família Bolsonaro está disposta a pedir para seus apoiadores praticarem atos de violência. Eles apostam que os militares virão ao seu apoio e ajudarão a fechar o STF, Congresso, e todo o resto.

Mas até nisso os Bolsonaros tem medo. Quem pede uma ditadura, nem sempre será eleito o ditador. Mourão, o General, aceitará ordens de colocar um capitão como ditador da nação? Não acreditamos nisso.

Spread the love

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *