Vem aí a investigação da “rachadinha” do PSL de São Paulo

Sem classificação

Depois do Rio de Janeiro, que envolve Flávio Bolsonaro, uma nova investigação de “rachadinha” inicia, desta vez em São Paulo e também envolve um deputado do PSL, amigo de Jair Bolsonaro. É o deputado estadual Gil Diniz que foi denunciado por um ex- assessor.

O denunciante é Alexandre Junqueira, e ele encaminhou uma representação, ainda em outubro ao Ministério Público de São Paulo. Nesta semana ele prestará depoimento e diz que apresentará provas que comprovem a prática.

Segundo a denuncia logo no princípio do mandato Junqueira diz que recebeu a proposta de devolver parte do salário, “principalmente gratificações”. Depois de ter se recusado, teriam sugerido a ele que passasse, então, a trabalhar como motorista.

Por ter se recusado a trabalhar como motorista ele teria levado um “gancho” ficando quatro meses em casa a título de punição. “Ainda que eu quisesse trabalhar, fui proibido de ir ao gabinete e orientado a ali comparecer apenas uma vez por semana para assinar a folha de ponto”, afirmou Junqueira.

“Todos os assessores que recebem o salário no teto fazem rodízio das gratificações, que costumam ser sacadas em dinheiro para pagamento das contas de apoiadores do deputado estadual Gil Diniz. Tenho conhecimento que o mesmo procedimento ocorre na Liderança do PSL na Assembleia Legislativa de São Paulo”, finalizou.

Gil Diniz colocou seu nome a disposição para concorrer à prefeitura de São Paulo pelo PSL. Ele também é acusado de manter em seu gabinete uma central de fake news que teve como o alvo o também deputado Sargento Neri (Avante), que o acionou no conselho de ética.

Diniz foi o único deputado que foi contra o projeto que prevê multa a quem compartilha notícia sabidamente falsa. 

Spread the love

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *